Informações e Contatos

Av. Indianópolis, 1287 - Planalto Paulista
CEP 04063-002 - São Paulo - SP

No momento em que as regras sanitárias necessárias foram aprovadas para a realização do 51º Congresso Brasileiro de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial, os organizadores do evento entenderam que era o momento certo para promover o estudo, o ensino e a troca de experiências na área da saúde – depois de mais de um ano organizando interações remotas.

Segundo Dr. Eduardo Baptistella, presidente da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORL-CCF), durante o período mais crítico da pandemia, muitos médicos ficaram distantes da família, dos amigos e dos movimentos sociais. Agora, com a retomada das atividades – que ainda causa insegurança, mas já permite aproximação, considerando os protocolos de higiene e o avanço da vacinação -, já é possível chegar em casa e ver a família.

“Para nós, otorrinos, o Congresso traz esperança. Poder reencontrar os amigos, aprender, interagir, claro, com todos os cuidados necessários, já é uma vitória. O Congresso foi um evento-teste. Estamos coletando dados que, no futuro, servirão como informações científicas e estatísticas e base para outros eventos em Fortaleza”, avalia Dr. Baptistella.

Ainda de acordo com o presidente, neste segundo dia de evento e capacitações, foi possível ver nos olhos dos participantes como a interação entre as pessoas é importante para o desenvolvimento humano. “Todos que estão aqui sairão com muito aprendizado.”

À frente da atual gestão, Dr. Baptistella comenta sobre os trabalhos desenvolvidos, como eventos de aperfeiçoamento científico – ainda que on-line – análise da área financeira, capacitação das áreas de atuação e o Congresso que, como ele disse, foi um sucesso! “Me sinto honrado por ter sido escolhido e agradeço pela oportunidade; e reforço: um bom trabalho sempre será feito em parceria.”

E, já pensando na nova gestão, o que esperar para o próximo ano? Dr. Renato Roithmann, médico otorrinolaringologista que assumirá a ABORL-CCF, avalia o Congresso como um trabalho que teve ótimas colheitas. 

“As perspectivas para a gestão que terá início em 2022 são as melhores possíveis. Já estamos nos organizando com os trabalhos que serão desenvolvidos no próximo ano, desde projetos de Educação Médica Continuada, qualificação profissional, projetos sociais e a defesa profissional. Podem contar que teremos uma gestão com ótimos projetos”, finaliza.

 

COMPARTILHAR:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Projeto Meu Otorrino é 10 atendeu mais de 300 pessoas em Brasília