Informações e Contatos

Av. Indianópolis, 1287 - Planalto Paulista
CEP 04063-002 - São Paulo - SP

Em parceria com a UNESCO, atendimentos foram gratuitos e contaram com, aproximadamente, 50 especialistas

Foto: Telmo Ximenes

Mais de 300 pessoas da comunidade Recanto das Emas receberam atendimento gratuito de médicos otorrinolaringologistas no sábado (30 de abril). Os atendimentos foram feitos na sede do Instituto Proeza, em Brasília. 

Esta, entre outras ações, faz parte do projeto “Meu Otorrino é 10, ele trabalha pelas causas sociais”, idealizado pela Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORL-CCF) e realizado em parceria com a Representação no Brasil da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).

A edição do Distrito Federal – que abriu o calendário das atividades filantrópicas da associação em 2022 – tem o apoio do projeto Criança Esperança e contou com a participação de, aproximadamente, 50 especialistas da Associação de Otorrinolaringologia do Distrito Federal e da Associação Goiana de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial.

Segundo o presidente da ABORL-CCF, Renato Roithmann, uma das missões da associação este ano é o desenvolvimento de ações que promovam a melhoria da saúde da população que, em muitos casos, vive em situação de vulnerabilidade social, com dificuldade de acesso a serviços médicos. 

“Atendemos pacientes com mais de 50 anos que nunca tinham se consultado com um otorrino, pessoas com problema de audição que ainda não haviam tido a oportunidade de uma avaliação com um especialista. Além das consultas, fizemos exames e procedimentos, como a remoção de corpos estranhos e cerume dos ouvidos. Alguns casos foram encaminhados para cirurgias nos hospitais de Brasília e para o uso de próteses auditivas. Nos sentimos realizados com este evento”, comentou Roithmann.

Também esteve presente a diretora e representante da UNESCO no Brasil, Marlova Noleto, que acompanhou os atendimentos e avaliou o projeto como extraordinário. “É um espetáculo assistir à ação deste projeto, em parceria com o Criança Esperança, a Unesco e a TV Globo. É uma grande alegria, não só por levar serviços para uma comunidade que precisa, mas para mostrar a força e a potência deste projeto social. Nós agradecemos em nome de todos aqueles que foram beneficiados.”

Pacientes

Foto: Telmo Ximenes

Ivanilde Gomes de Moraes, 56 anos, passou em consulta devido à queixa de dor intensa no ouvido. Ao ser atendida pelo médico, ela foi diagnosticada com perda de audição por perfuração no tímpano. “Foi constatado que minha mãe tem um problema no tímpano e terá que fazer uma cirurgia para reconstituí-lo. O atendimento foi ótimo, rápido e o médico foi muito prestativo. Saímos daqui já com o encaminhamento para cirurgia e logo ela ficará bem”, informou Cleilton Gomes de Moraes, filho de Ivanilde.

A manicure Maria Siqueira acompanhou a filha de 10 anos que sofre com dor de garganta e nariz entupido frequentemente. Foi a primeira consulta da criança com um médico otorrinolaringologista. “Foi a primeira vez que ela fez um exame para olhar com detalhe o interior do nariz. O médico identificou o problema de adenoide e recebemos o encaminhamento para cirurgia e a indicação dos remédios para tratamento”, informou Maria.

Projeto Meu Otorrino é 10

 

Foto: Telmo Ximenes

As ações sociais avaliam a saúde otorrinolaringológica da população. Todos podem tirar dúvidas com os médicos e receber orientações de prevenção e cuidados para respirar bem, ouvir bem e dormir bem.

Acompanhe as próximas ações no portal VOX Otorrino.

 

 

 

COMPARTILHAR:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Projeto “Vamos Ouvir?” defende a importância da Otorrinolaringologia no estado do Rio Grande do Sul